Telebras apresenta suas soluções de conectividade em Workshop da UFPA

A Telebras foi convidada pela Universidade Federal do Pará (UFPA) a participar do Workshop Conectividade 5G na Amazônia organizado pela instituição. Para o evento, ocorrido no dia 25 de setembro de 2020, os diretores comercial e técnico-operacional da Telebras, Bráulio Machado e Emílio Acocella responderam a perguntas enviadas por professores e alunos da universidade sobre o papel da Telebras em levar conectividade para os locais mais remotos e difícil acesso do país.

 

A disponibilidade da banda Ka do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) para cobertura em todo o território nacional foi destaque na fala dos gestores. “A universalização da banda larga no Brasil, e em todo o mundo, passa necessariamente pelo emprego de satélite. Na Amazônia mais ainda. A Telebras possui atualmente 3461 circuitos satelitais instalados na região. Além disso temos uma infraestrutura de rede terrestre considerável: dos 28.880 km da nossa rede nacional de fibra óptica, 8.368km (aproximadamente 29%) são na região Norte”, citou Emílio Acocella.

 

Os diretores explicaram a importância das comunicações via satélite e a relevância do uso do SGDC nas soluções de conectividade empregadas na operacionalização do Programa Gesac, com taxas de velocidade de 10 por um, 15 por um e 20 por um Mbps, para download e upload, respectivamente. “É um programa de grande abrangência em todo território nacional e bastante interessante para a região Norte, cujas localidades são de difícil acesso. Consegue-se com o acesso satelital, ter um acesso de muito boa qualidade, rápido e de baixo custo”, frisou Bráulio Machado.

 

Foram apresentadas outras estratégias e produtos que estão sendo desenvolvidos pela Telebras para ampliar a utilização do potencial do satélite, como as soluções transportáveis de comunicação via satélite e o Wi-Fi na Praça, novo programa do Ministério das Comunicações que foi testado na comunidade de Angélica no Rio Grande do Norte, em agosto de 2020, e sobre o qual, segundo Bráulio, está ainda em fase de “prova de conceito para estudar o perfil de exploração dessa conectividade”, podendo ser expandido para todo o Brasil.

 

Sobre a possibilidade da Telebras fazer uso e operar no mercado das redes privativas 5G, Emílio Acocella explicou que, apesar da empresa não fazer planos de prestar serviços de conectividade 5G, foi criado um grupo de trabalho para estudar qual o espaço de atuação possível para a Telebras e contrapôs “cabe relembrar que o satélite pode ser um aliado do 5G, mas também um concorrente. Na medida em que ele é o candidato a prover conectividade sem fio ou cabo onde a telefonia móvel não chega, nas chamadas brechas digitais”.

 

A Telebras se identifica como instrumento fundamental, à disposição do Governo Federal, para implementação de políticas públicas de inclusão digital no país. Entre as suas diretrizes está o atendimento prioritário à região Amazônica. Ficou interessado em saber mais sobre as soluções que a Telebras tem a oferecer? Acesse, na íntegra, o vídeo da entrevista com os diretores disponível no Youtube da Telebras.

 

 

ASCOM

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Relacionados