Telebras celebra o lançamento do seu Plano de Integridade

Na busca de uma atuação focada nos princípios da ética e da transparência, lançamos o Plano de Integridade para o biênio 2019-2020. Chamado de Integra +, o plano está alinhado com a pauta de combate à corrupção do governo federal.

Com a presença dos ministros Marcos Pontes, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Wagner Rosário, da Controladoria Geral da União e outras autoridades dos dois órgãos, o evento reuniu os colaboradores da Telebras com o intuito de chamar a atenção para a necessidade de engajamento e comprometimento com as 53 iniciativas de integridade propostas no Integra +.

O Plano é fruto do trabalho da Diretoria de Governança e da Comissão de Integridade da Telebras que, durante quatro meses, reuniram as melhores práticas de combate aos atos de fraude, corrupção e má gestão dos recursos públicos. “Ele contempla inciativas importantes no gerenciamento de riscos, na promoção da ética, como parte fundamental na gestão de pessoas, do patrimônio, dos documentos, da informação e do conhecimento, das compras e licitações, da contabilidade e da auditoria. Todas elas impactam, direta ou indiretamente, o desempenho empresarial e o alcance dos objetivos estratégicos da empresa”, disse o diretor de governança, Rodrigo Prates, na abertura do lançamento.

Para o presidente da Telebras, Waldemar Gonçalves, a preocupação com a ética durante as nossas atividades deve levar em conta as múltiplas formas com que nos relacionamos no nosso ambiente de trabalho, bem como os diversificados interesses que fazem parte do cenário do nosso negócio. Gonçalves complementou que “além de enfrentarmos os desafios de sustentabilidade, concorrência e expectativas da sociedade em relação ao cumprimento da nossa responsabilidade social, temos também de assegurar em nossos processos, modelos operacionais que atendam aos mais elevados padrões éticos, sempre com lisura e responsabilidade.”

O ministro Marcos Pontes contou que relaciona integridade a valores, que as pessoas consideram importantes em suas vidas e dos quais não abrem mão. Na sua opinião, a integridade é o valor mais importante pois, através dele, os demais são atingidos e que “pensando de maneira geral, a explicação mais simples é que o que você pensa, corresponde exatamente com o que você fala, que corresponde com o que você faz. Você ser integro do pensamento à execução”.

Responsável por investigações de combate à corrupção, o ministro Wagner Rosário salientou que a integridade não funciona sem o envolvimento de todos, que o tom deve vir da alta administração e irradiar por toda organização, uma vez que cada área tem seus riscos específicos. A busca por condutas íntegras reduz os riscos de imagem e uma imagem forte torna a empresa sustentável. O ministro da CGU compreende que “o número de riscos é maior que a capacidade de tratá-los. Devemos priorizar aqueles que ameaçam o não atingimento da missão da empresa”.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Relacionados