Telebras presente mais uma vez na Campus Party Bahia

21 de maio de 2018

Encerrou neste domingo (20), com a participação da Telebras, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, a segunda edição da Campus Party Bahia. A programação foi realizada mais uma vez na Arena Fonte Nova e teve cinco dias de duração.

No sábado (19), o técnico em Gestão de Telecomunicações da Telebras, Vitor Costa, palestrou no Palco Enterpreneurship&Startup sobre como abrir um provedor de internet. “Sua internet não te atende? Abra seu próprio provedor.”

Na oportunidade, Vitor abordou o panorama atual da internet no Brasil. Com um público muito diversificado, a palestra abordou desde o que é a internet e como ela funciona até como abrir um CNPJ, registro na Anatel, equipamentos e desafios do mercado.

“A palestra desse ano foi muito interessante. Tivemos perguntas de profissionais da área e de pessoas que não são do meio, mas que tem interesse em aprender. O público faz a diferença na hora da apresentação”, disse. A palestra pode ser assistida na íntegra no Canal do YouTube da Campus Party.

Sobre a Campus Party

A Campus Party é a maior experiência tecnológica do mundo que reúne jovens geeks em um festival de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e universo digital. Realizada pela primeira vez em 1997, na Espanha, a Campus Party conta hoje com mais de 475 mil campuseiros cadastrados em todo mundo, e já produziu edições em países como Espanha, Holanda, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Colômbia e Equador. O evento está presente no Brasil há dez anos e em 2017, terá edições em Portugal, Itália, Singapura e África do Sul.

NOTA CONJUNTA MCTIC E MINISTÉRIO DA DEFESA

16 de abril de 2018

Parceria com Viasat no satélite geoestacionário não oferece risco à soberania nacional, afirmam MCTIC e Ministério da Defesa

Os ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações reforçam que a parceria estratégica firmada pela Telebras e a empresa Viasat no projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) não oferece risco à soberania nacional.

O satélite foi concebido para atender às estratégias de defesa nacional e viabilizar o programa Internet para Todos, que prevê a massificação da internet de qualidade para todo o Brasil. A fim de promover estes dois pilares, o controle e a operação do satélite continuam sob responsabilidade da Telebras e do Ministério da Defesa.

O satélite foi dividido em duas bandas: a banda X, de uso exclusivamente militar; e a banda Ka, que atende o social. São sistemas totalmente independentes, e não há qualquer troca de dados e informações entre eles, além de a Viasat ou qualquer outra empresa não ter acesso, em qualquer hipótese, às senhas de controle do SGDC. A exploração comercial da banda Ka do SGDC não transfere a propriedade nem modifica a governança do projeto SGDC. A responsabilidade da Viasat nessa parceria é a instalação e manutenção dos terminais de usuários (antenas) em todo o Brasil.

Cabe ressaltar que a Viasat é uma empresa mundialmente reconhecida, que está presente nos Estados Unidos, Europa, Austrália e México, inclusive com contratos governamentais para implantação de programas nacionais de banda larga. O acordo de parceria, baseado no artigo 28, §3º, II, da Lei nº 13.303/2016, atende às políticas públicas em prol do interesse coletivo – a expansão do acesso à Internet em banda larga no país.

A internet em banda larga de alta qualidade oferecida pelo SGDC cobre todo o Brasil e já está viabilizando projetos sociais, como o Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC), Educação Conect@da (do Ministério da Educação), Prontuário Eletrônico (do Ministério da Saúde), além do Internet para Todos. O SGDC também ajudará a garantir segurança nacional ao levar conectividade aos diversos postos de fronteira do país, dentre outros órgãos localizados em áreas remotas, hoje sem cobertura adequada.

Por fim, o Ministério da Defesa e o MCTIC vislumbram que a operacionalidade plena do SGDC fortalecerá ainda mais a soberania nacional, além de trazer grandes benefícios sociais e econômicos ao Brasil.

Brasília, 16 de Abril de 2018.

MINISTÉRIO DA DEFESA

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES

Max participa de comitiva presidencial em São Paulo

15 de fevereiro de 2018

Max participa de comitiva presidencial em São Paulo

O presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, acompanha, nesta quinta-feira (15), em São Paulo, a comitiva do presidente da República, Michel Temer e do Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

Eles estão na capital paulista para conhecer as obras da nova fonte de luz síncrotron, Sirius, um projeto do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM).  Há pouco foi realizada uma dinâmica com as autoridades.

O Projeto Sirius

Sirius, a nova fonte de luz síncrotron brasileira, será a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no País e uma das primeiras fontes de luz síncrotron de 4ª geração do mundo. É planejada para colocar o Brasil na liderança mundial de produção de luz síncrotron e foi projetada para ter o maior brilho dentre todos os equipamentos na sua classe de energia.

“Temos que aproveitar este momento tecnológico para desenvolver produtos no Brasil”, diz Maximiliano Martinhão, em assinatura de acordo para unidade de semicondutores

6 de fevereiro de 2018

O presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, participaram, nesta segunda-feira (5) da assinatura de acordo de joint venture das fabricantes de semicondutores Qualcomm e USI para instalar, em São Paulo, uma fábrica de chips para smartphones e dispositivos de “internet das coisas”.

Para o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, o Brasil carece da indústria de IoT e uma fábrica na área de semicondutores pode trazer muitos benefícios, pois tem o viés de promover a pesquisa e o desenvolvimento no país. “O mercado de IoT no Brasil está crescendo em uma velocidade muito rápida. Temos que aproveitar este momento tecnológico para desenvolver produtos aqui. Existe uma expectativa de que até 2025 este nicho vai gerar ao país, U$ 200 bilhões. A partir da riqueza que existe em todo este mercado, o Brasil está atraindo investimentos e desenvolvimento tecnológico, além de equilíbrio na balança comercial”, enfatizou Max.

Durante o evento, Kassab destacou a retomada dos investimentos estrangeiros no país. “Que essa parceria sirva de incentivo aqueles que estão na iminência de iniciar novos projetos. É hora de o Brasil crescer. Chegou o momento de acreditarmos no país e gerarmos mais empregos”.

Com previsão de investimentos de US$ 200 milhões, a nova fábrica deve começar a operar a partir de 2020 e deve gerar entre 800 e 1 mil empregos qualificados. A estimativa para início da operação coincide com o prazo para execução do Plano Nacional de Internet das Coisas, projeto do para alavancar o setor, que deve conectar todos os objetos à nossa volta, no Brasil.

“Cada vez mais, as pessoas e os empresários voltam a acreditar no Brasil. O que acontece aqui é o início de um grande projeto que trará não apenas tecnologia, mas formará recursos humanos dentro e fora do Brasil para que a gente possa introduzir o que há de mais necessário para desenvolver o país”, declarou Kassab.

O local de instalação da planta ainda não está definido, mas de acordo com Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina, provavelmente a fábrica ficará na região de Campinas, no interior de São Paulo.

Telebras vai levar conexão a localidades desassistidas através do Internet para Todos

30 de janeiro de 2018

 

Anúncio foi feito durante coletiva de imprensa da Campus Party Brasil 2018, nesta terça-feira,30, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo

A Telebras é a primeira empresa de Telecomunicações do Brasil credenciada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Informações e Comunicações (MCTIC), para atender o Programa Internet para Todos do Governo Federal.

O anúncio foi feito nesta manhã pelo gerente de Planejamento e Marketing da Telebras, Luiz Fernando Ferreira Silva, em São Paulo, durante a Campus Party Brasil 2018. O programa tem o objetivo de conectar milhares de localidades em todo o país sem acesso à rede. Para isso, a Telebras usará a capacidade do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), lançado em maio de 2017.

Serão milhares de localidades assistidas pelo Programa que em breve deve entrar em operação. Prefeituras de todo o Brasil poderão se credenciar junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para serem atendidas pelo projeto.

Para o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, a ação vai representar ganhos econômicos e sociais para o país e reforçar o perfil de inclusão digital, uma vez que todos poderão ter acesso ao que acontece no mundo, através da internet.

“Nosso propósito como operadora de Telecomunicações Brasileira é cumprir a missão de conectar o país. Muito em breve, graças ao SGDC e a esta iniciativa do governo, brasileiros que estavam ‘excluídos’ da atual e tão falada conectividade, passarão a se sentir incluídos e poderão usufruir dos mesmos benefícios de internet de qualidade que a Telebras proporciona aos campuseiros, por exemplo,” enfatiza.

Internet para Todos é uma ação do MCTIC e da Telebras que vai levar conexão em banda larga para milhares de localidades de todo o país a preços reduzidos. O objetivo é democratizar o acesso à internet em busca da inclusão social.

Campus Party Brasil 2018

A Telebras está mais uma vez presente na Campus Party Brasil, fornecendo internet de alta qualidade aos campuseiros. O local do evento é novamente o Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

Serão seis dias de duração, em 24 horas non-stop, com um total de 750 horas de conteúdo e uma capacidade de internet de 40 Gb/s, fornecida pela Telebras.

“Somos parceiros do evento no Brasil há 3 anos e entregamos aquilo que melhor sabemos fazer, que é a tecnologia. É um evento de expressão entre os jovens e para a história da Telebras, como todos que participamos. Os campuseiros podem contar com nossa excelência na internet que será fornecida”, diz o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão.

A Campus Party Brasil chega a 11ª edição nacional. Em 2017, o evento realizou edições regionais em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Salvador (BA), com um encontro em Pato Branco (PR), em outubro.

 

 

 
Página 1 de 3123