Telebras discute no Futurecom a Importância dos Satélites no Processo de Entrega do 5G e de Dispositivos Interconectados

17 de outubro de 2018

 

O diretor Técnico-Operacional da Telebras, Roberto Pinto Martins, participa ao lado de Lisa Scalpone, vice-presidente de Serviços Internacionais da ViaSat e Gerente Geral – Brasil, no painel “Examinando a Importância dos Satélites no Processo de Entrega do 5G e de Dispositivos Interconectados”, nessa quarta-feira, 17, das 15h35 às 17h10, na Arena Mauá 1 do Futurecom 2018, no São Paulo Expo. A mediação é do professor e ex-conselheiro da Anatel, José Leite Pereira Filho. Dentre outros pontos, Roberto Matins abordará em sua exposição uso do satélite para a oferta de soluções em 5G.

Também participam do painel o diretor geral da Telesat Brasil, Mauro Wajnberg, o gerente de Desenvolvimento de Negócios da Embratel Star One, Fabio Alencar e o superintendente de Outorga e Recursos à Prestação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Vitor Elisio de Oliveira.

Abertura

Os ministros da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Jorge de Lima, participaram da solenidade de abertura do Futurecom 2018 na noite da última segunda-feira, 15, ao lado dos presidentes das operadoras de Telecomunicações e do presidente da Anatel, Juarez Quadros. A Diretoria Executiva da Telebras prestigiou a abertura do Futurecom 2018, que completa, este ano, 20 anos de existência.

A exemplo de anos anteriores, a Telebras está presente no Futurecom 2018 com estande de 55 m². Este ano, a Telebras divide esse espaço com a empresa ViaSat, na rua E (estande E 14) do pavilhão de exposições. Pouco antes do início da solenidade de abertura, o ministro Gilberto Kassab e o secretário de Políticas Digitais do MCTIC, Thiago Camargo Lopes, visitaram o estande da Telebras, onde foram recebidos pelo presidente Jarbas Valente, pelos diretores Técnico-Operacional, Roberto Martins, Comercial, Alex Magalhães, de Governança, Rômulo Barbosa, pelo gerente de Vendas e pelo coordenador de Novas Soluções, Daucleber José Teodoro e Cleber Canovas Mendes, respectivamente, e pelo chefe de Gabinete, Luiz Fernando Ferreira Silva.

 

Telebras dá um salto na avaliação de Governança das Estatais

11 de maio de 2018

Acaba de ser divulgado, em solenidade realizada no Ministério do Planejamento, o resultado do segundo ciclo do Indicador de Governança, da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – IG-SEST, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

A Telebras, que na primeira avaliação estava no 4º nível, com nota de 2,41 passou, nesta etapa, para o 2º nível, com 6,1 de nota. Esta avaliação é um instrumento de acompanhamento contínuo, que tem o objetivo de avaliar o cumprimento dos requisitos exigidos pela Lei nº 13.303/2016 (denominada Lei das Estatais) e diretrizes estabelecidas nas Resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União, que buscam implementar as melhores práticas de mercado e maior nível de excelência em governança corporativa.

As avaliações foram feitas dentro de três dimensões. A de ‘Gestão, Controle e Auditoria’ envolve a remuneração variável para diretores, Gestão de  Riscos, Controles Internos, Auditoria Interna, Código de Conduta e Integridade e Fiscalização da Governança. Neste quesito, a Telebras avançou da nota 3,79 para a nota 5,67.

Na dimensão ‘Transparência das Informações’, foram levados em conta os requisitos mínimos de transparência. Neste caso a Companhia quase que triplicou sua finalidade, saltando da nota 1,56 para 4,06.

E a terceira dimensão é a dos ‘Conselhos, Comitês e Diretorias’, que avalia treinamento para administração e conselheiros, comitês, requisitos e vedações e membros independentes. A nota foi a máxima nesta etapa de trabalhos: 10. Na anterior a nota havia ficado em 0,94. Este salto quantitativo verificado demonstra  a determinação dos colaboradores, gerentes e diretores em potencializar a gestão, o desempenho operacional e a sustentabilidade da Telebras.

“Passamos do 4º para o 2º nível e a meta é chegar ao primeiro nível até o fim do ano. E depois do primeiro? Nós queremos ter a melhor Governança entre todas as estatais do Brasil”, enfatiza Rômulo Barbosa, diretor de Governança da Telebras.

Para o presidente, Jarbas Valente, a nova avaliação do Indicador de Governança demonstra que a Companhia está no caminho certo e totalmente integrada à Lei das Estatais. “A excelência segue como prioridade para a Diretoria Executiva da Telebras. Nossa meta é a nota máxima em todas as dimensões e essa nova avaliação já demonstra isso. Estamos satisfeitos com os resultados já obtidos em tão pouco tempo. Cumprimentos à Diretoria de Governança e a todos os colaboradores que se envolveram na busca deste resultado”, ressalta.

Escultura do SGDC-1 é inaugurada na Agência Espacial Brasileira

22 de março de 2018

Foi inaugurada na manhã desta terça-feira (20), em Brasília, a escultura do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC-1). A peça é de autoria do paraibano Percival Henriques, presidente da Associação Nacional para Inclusão Digital (ANID). A solenidade contou com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, do presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, da Diretoria Executiva da Telebras e do presidente da Agência Espacial Brasileira, José Raimundo Braga Coelho.

Percival também é empresário, físico e bacharel em Direito. Foi diretor técnico do Inmetro/Imeq na Paraíba e é especialista em gestão pública. A escultura do SGDC-1 foi doada à Agência Espacial Brasileira (AEB) pelo artista, após indicação do presidente da Telebrás, Maximiliano Martinhão.

Durante a solenidade, o Ministro Kassab ressaltou o impacto positivo do SGDC na vida cotidiana das pessoas, aumentando a oferta de banda larga para regiões remotas do Brasil e proporcionando segurança estratégica nas comunicações.  Registrou a importância de simbolismos como a escultura para celebrar os esforços dedicados à construção de um país melhor, acrescentando que a obra operava como um marco. “A escultura demonstra aos brasileiros que aqui se trabalha muito”, disse.

A escultura

A escultura pesa 122 kg, e tem 1,60 cm de altura com 3,20 de diâmetro. É composta por dois domos geodésicos sobrepostos construídos com tubos de aço carbono galvanizados. Entre os dois domos foi colocada uma réplica do SGDC, feita de chapa de aço carbono, e preparada com um jateamento de microesferas de aço para receber nanopartículas de zinco, por meio de uma técnica chamada arc spray, que evita a corrosão.

Segundo Percival, a ideia geral da obra, além da representação literal da Terra, da abóboda celeste e do próprio satélite, é que ela seja um tributo à Matemática e, sobretudo, aos homens e mulheres escondidos atrás de cada equação que garantiu o suporte objetivo à manutenção em órbita e operação do SGDC.

Colaboração do Release: Coordenação de Comunicação Social da AEB

Telebras lança projeto para conectar sua rede aos Pontos de Troca de Tráfego de Internet no Brasil

8 de março de 2018

A diretoria executiva da Companhia tem como objetivo contribuir para um Brasil mais conectado a custos baixos e maior praticidade

A Telebras anuncia, nesta quinta-feira (8), um projeto que deve promover o trabalho dos provedores de Internet do país. Trata-se de um programa que vai conectar a rede da Telebras a todos os Pontos de Troca de Tráfego Metropolitanos (PTTMetro) do IX.BR.

Atualmente existem 31 Pontos de Troca de Tráfego no Brasil, abrangendo todas as regiões do país. Cada localidade receberá links de centenas de Gbps. O total de provedores que são Sistemas Autônomos no Brasil alcança, hoje, o número de 5.323.

Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras, comemora a iniciativa, lembrando que, entre as metas do projeto, estão a possibilidade de serviços de transporte entre os diversos pontos de troca de tráfego, de forma simples e econômica, além da melhor qualidade de Internet oferecida à população.

“São Paulo é, hoje, o grande concentrador de tráfego no Brasil. Para melhorarmos a qualidade da Internet, principalmente no que diz respeito a questões como latência e disponibilidade, é necessário distribuir melhor o tráfego para as diversas regiões do país. É neste sentido que queremos somar e servirmos de agente de distribuição e condução da utilização dos PTTs. O Brasil já está maduro para isso e precisa expandir seus horizontes na área da informação, de forma racional e segura. A Telebras pode ajudar neste sentido”, enfatiza Max.

Para o diretor Comercial da Telebras, Rômulo Barbosa, além do benefício social, o projeto trará consideráveis retornos financeiros para a Companhia. “Neste projeto ampliaremos a utilização de nossa rede com a mesma estrutura já instalada. Haverá um investimento que aumentará nossas receitas sem impacto nos custos operacionais, resultando em alta rentabilidade do projeto”, ressaltou Barbosa.

De acordo com o diretor Técnico-Operacional da Telebras, Jarbas Valente, o projeto pode ser visto por várias óticas. Do ponto de vista econômico e social, estamos valorizando o desenvolvimento nacional. “Utilizaremos tecnologia de ponta que será produzida pela indústria brasileira. Isso significa dizer que estaremos integrando o Brasil com aquilo que é nosso”, enfatiza.

“A conexão da rede Telebras aos Pontos de Troca de Tráfego é de fundamental importância para uma melhor prestação de serviços de acesso à internet, otimizando o uso da rede e aproximando dos usuários os principais conteúdos disponibilizados na rede mundial”, acrescenta o gerente de Planejamento, Controle e Inovação da Telebras, Roberto Pinto Martins.

O que diz o NIC.br sobre o Projeto

Pontos de troca de tráfego são estruturas de Internet que melhoram a eficiência, aumentam a segurança e incrementam a resiliência da rede. Um ponto de troca, entretanto, exerce uma força de atração proporcional ao seu tamanho, o que só faz com que cresça cada vez mais. Os interessados em trocar tráfego tem que buscar meios de chegar aos pontos de maior concentração e, com isso, o desequilíbrio na rede aumenta.

“Com a iniciativa da Telebrás em prover transporte entre diferentes pontos de tráfego, o provedor pode se manter conectado ao local geográfico que lhe for mais natural e próximo e, mesmo assim, conseguir participar das trocas que ocorrem em outros pontos: bastará contratar o transporte à Telebrás. Com isso a distribuição de tráfego torna-se mais homogênea e a estratégia dos participantes nos PTTs ganha facilidade. O NIC saúda a iniciativa e soma-se aos esforços por uma Internet no Brasil cada vez melhor”, diz Demi Getschko, presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR – NIC.br.

Já segundo Milton Kashiwakura, diretor de Projetos Especiais e de Desenvolvimento do NIC.br, “a Telebras, com este projeto, irá acelerar o crescimento dos Pontos de Troca de Tráfego Internet (PTT) do NIC.br (IX.br). Os provedores de acesso de Internet ganharão em agilidade para se conectar a qualquer PTT através da rede da Telebras. O provisionamento será rápido, pois a infraestrutura já estará preparada”, enaltece.

Avaliação do presidente da ANID

Percival Henriques, presidente da Associação Nacional para Inclusão Digital – ANID, diz que a lógica da Internet é de que, cada vez mais, o conteúdo relevante esteja próximo do local onde ele mais interessa. “Queremos que os sistemas autônomos vizinhos conversem entre si. O local apropriado para esta conversa são os pontos de troca de tráfego. Com este projeto da Telebras, os provedores vão ter acesso aos PTTs, permitindo redução de custos, acesso à diversidade de conteúdos regionais e até compartilhamento de conteúdos globais, que estejam disponíveis localmente. É uma boa iniciativa da Companhia”, ressalta.

Abrint

O presidente da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações – Abrint, Basílio Perez, afirma que vê com grande satisfação a iniciativa da Telebras. “O transporte até os Pontos de Troca de Trafego sempre foi uma bandeira que defendemos e a Telebras, assumindo mais esse papel, estará alavancando o desenvolvimento da Internet do Brasil. É uma forma de facilitar o trabalho de inclusão digital feito pelos provedores regionais.

Abranet

Eduardo Parajo, diretor presidente da Associação Brasileira de Internet – Abranet, incentiva a proposta. “Entendemos que esta iniciativa da Telebras vai contribuir para melhorar os custos da conectividade de Internet, além da melhoria da qualidade e menor latência para os provedores e usuários da rede”, diz.

Sobre o IX.BR

O IX.BR é um projeto do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) que promove e cria a infraestrutura necessária para que provedores de Internet façam a interconexão de suas redes. Através desta interconexão, os diversos provedores de Internet comunicam diretamente entre si, aumentando a qualidade do serviço e diminuindo os custos de comunicação. Atualmente, 32 cidades brasileiras, possuem pontos do IX.BR.

Representantes da Telebras e do Consórcio Sat 3D entregam Kits escolares na obra do COPE P

9 de fevereiro de 2018

A sexta-feira (9) foi de estímulo à equipe que participa da construção do Centro de Operações Espaciais Principal de Brasília, o COPE P. Cerca de 60 Kits escolares foram entregues a filhos de colaboradores que participam da construção da obra.

Na oportunidade, a Telebras esteve representada pelo diretor Comercial, Rômulo Barbosa e pelos engenheiros Sebastião do Nascimento Neto, Rodrigo Botelho, e Gabriel Polanzzo. O Consórcio Sat 3D, responsável pela obra, contou com a presença dos diretores e gerentes das empresas participantes: Almeida França, Paulo Octávio e Projeman.

“São profissionais que merecem nosso reconhecimento porque, assim como as nossas empresas, eles ajudam a construir o Brasil”, ressaltou Barbosa.

 
Página 1 de 212