Inaugurada nesta manhã a operacionalização do COPE-S, no RJ

19 de novembro de 2018

“Aprendemos muito neste período, em especial a perceber a capacidade que o Brasil tem de ser autêntico naquilo que se propõe a fazer com empenho e dedicação. Essa obra é um exemplo disso”, diz Jarbas Valente

Em uma solenidade na Estação Rádio da Marinha do Rio de Janeiro (ERMRJ), com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e da Diretoria Executiva da Telebras, foi inaugurada, na manhã desta segunda-feira, 19, a operacionalização do Centro de Operações Espaciais Secundário, o COPE-S, do Rio de Janeiro.

Em seu discurso, o presidente da Telebras, Jarbas Valente, lembrou que o projeto Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações Estratégicas, o projeto SGDC, é resultado do esforço conjunto de várias frentes. “É importante destacar aqui o Governo Federal, que atuou lado a lado com a Telebras por meio do MCTIC, o Ministério da Defesa, as empresas e os consórcios envolvidos na parte terrestre do satélite e, em especial, aos gestores da Telebras que lideraram essas imponentes obras dos Centros de Operações Espaciais, como a daqui do Rio de Janeiro, a do COPE-P, em Brasília, além das três Estações de Acesso, as Gateways, em Salvador, Campo Grande e Florianópolis”, ressaltou.

Para Gilberto Kassab, a inauguração da operacionalização do COPE-S faz parte do legado que o projeto SGDC deixa à nação brasileira. “A conclusão das obras terrestres do projeto marca a transformação pela qual passa o Brasil no campo das comunicações. É um período promissor para o setor que vem por aí. A Telebras está de parabéns”, enalteceu o ministro. O governador do Rio de Janeiro lembrou da importância da telefonia a da internet de qualidade. “Parabéns a todos os envolvidos em mais este grande projeto envolvendo as telecomunicações de nosso país”, disse.

A estrutura de todo o segmento terrestre do SGDC soma R$ 450 milhões e cerca de mil profissionais que atuaram diretamente nas obras. O Centro de Operações Espaciais Secundário do Rio de Janeiro, o COPE-S, compõe a comunicação com o artefato que está em órbita. A obra tem mais de 7 mil metros quadrados de extensão.

“Realmente estamos satisfeitos e podemos visualizar aqui uma missão cumprida dignamente, tal qual o Brasil merece. Daqui para frente virá o desafio de finalmente conectarmos este imenso país, de ponta a ponta, sem restrição de localidades, sejam elas populosas ou não. Todos passarão a ter igualdade de informações, por meio do Programa Internet para Todos, acesso ao progresso, à assistência médica, educação conectada, a postos de fronteiras informatizados, à segurança monitorada pela tecnologia, à agricultura de precisão e etc”, explicou Jarbas Valente.

O presidente da Telebras agradeceu ao MCTIC, na pessoa do ministro Gilberto Kassab; à Aeronáutica, na pessoa do comandante, tenente-brigadeiro do Ar, Nivaldo Luiz Rossato; ao comandante de Operações Aeroespaciais, tenente-brigadeiro do Ar, Carlos Vuyk de Aquino; e ao presidente da Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais (CCISE), major-brigadeiro do Ar, Luiz Fernando de Aguiar. À Marinha, na pessoa do comandante da Marinha, almirante de Esquadra, Eduardo Bacellar Leal Ferreira; e ao comandante do 1º Distrito Naval, vice-almirante José Augusto Vieira da Cunha de Menezes. Estendeu o agradecimento ao Exército Brasileiro, na pessoa do ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna; e ao comandante Militar do Oeste, general de Exército Lourival Carvalho Silva.

Os espaços cedidos para as obras terrestres do projeto foram disponibilizados pelo Exército, Marinha e Aeronáutica. Só no Rio de Janeiro a área física compreende quase 13 mil metros quadrados.

“Estamos na casa de vocês, tanto aqui, como em Brasília. Estamos unidos para sempre neste projeto pioneiro e inovador. Sem a disponibilidade deste espaço, da estrutura que os senhores nos dispensaram e de toda a credibilidade que essas instituições históricas representam para a nação, dificilmente obras destas dimensões teriam sido edificadas com tamanha segurança, disciplina e responsabilidade. Aprendemos muito neste período, em especial a perceber a capacidade que o Brasil tem de ser autêntico naquilo que se propõe a fazer com empenho e dedicação. Essa obra é um exemplo disso”, concluiu, em seu pronunciamento, Jarbas Valente.

 

Nota à imprensa

1 de novembro de 2018

A decisão unânime do Tribunal de Contas da União (TCU), tomada nessa quarta-feira, 31, validou o caráter legal, idôneo e transparente adotado pela Telebras durante o processo de escolha da parceira Viasat. Além disso, a Telebras foi liberada para executar os contratos com os seus clientes, inclusive o Gesac, do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC);

O TCU, em análise aprofundada, entendeu que a Telebras agiu dentro da legalidade ao aplicar a Lei das Estatais (13.303/2016) no processo da escolha da parceira para a exploração da banda Ka do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC);

O plenário do TCU pediu alterações em cláusulas do contrato, que serão discutidas com a parceira Viasat em ambiente negocial, e liberou a execução imediata do contrato;

A Telebras considera o resultado uma vitória para a empresa e para a sociedade brasileira. Apesar dos enormes prejuízos econômicos e sociais acumulados nos últimos sete meses, a estatal reafirma o compromisso de levar internet a preços acessíveis e de alta qualidade, por meio de políticas públicas e do programa Internet para Todos, a escolas, postos de saúde e localidades.

Presidente da Telebras assina Termo de Adesão à Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P)

28 de setembro de 2018

Com a presença dos colaboradores da Telebras, foi assinado na manhã desta sexta-feira, 28, no Ministério do Esporte, o Termo de Adesão ao Programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P). A formalização do ato contou com a presença do ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, do diretor do Departamento de Inclusão Digital da Secretaria de Telecomunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Américo Tristão Bernardes e da Diretoria Executiva da Telebras.
 
O diretor de Governança da Telebras, Rômulo Barbosa, abriu a solenidade com uma reflexão sobre o papel dos cidadãos com relação ao meio ambiente. “O que estamos plantando para assegurar que as gerações vindouras ainda encontrem um planeta habitável?”, questionou.
 
Ele aproveitou para lembrar que a cartilha da A3P faz menção à progressão do processo de adoção das medidas. “O aspecto mais importante relacionado à responsabilidade socioambiental é entender que ela é mais do que um conceito. Trata-se de um processo contínuo e progressivo de desenvolvimento de competências cidadãs para o avanço em direção à sustentabilidade no âmbito da administração pública”.
 
O presidente da Telebras, Jarbas Valente, enfatizou o papel da sustentabilidade nos órgãos governamentais. “O tema tem sido cada vez mais um diferencial da nova gestão pública, onde os administradores passam a ser os novos agentes de mudança. E a Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P é uma importante ferramenta para promover a reflexão sobre os problemas ambientais em todas as esferas da Administração Pública”, disse.
 
Jarbas Valente acrescentou que a Telebras, nos últimos anos, já vem adotando critérios preventivos sob a ótica da sustentabilidade. Um dos exemplos citados foram as obras de engenharia da parte terrestre do SGDC. “As obras, realizadas em cinco capitais brasileiras, tiveram o descarte dos entulhos em locais homologados e indicados pelos órgãos legais, preservando possíveis danos ambientais”, destacou.
 
Representando o Ministério da Ciência, Tecnologia, inovações e Comunicações (MCTIC), Américo Tristão Bernardes reforçou que a Telebras e o Ministério já vêm adotando medidas no sentido de preservação. “Já estamos recolhendo todos os computadores em desuso para reciclagem e esse exemplo já diz muito. Só em Brasília, no mês de junho, foram recolhidas 61 toneladas de aparelhos eletrônicos dos órgãos públicos sem utilidade. Esse material é encaminhado para o Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC), para reaproveitamento ou descarte adequado. A Telebras já vem colaborando com o importante papel de conectar o Ministério do Meio Ambiente, para que o monitoramento do patrimônio natural brasileiro aconteça. O ato de hoje confirma a consciência sustentável da Telebras e do MCTIC”, ressaltou.
 
O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, concluiu a solenidade lembrando que o Brasil, por sua extensa dimensão territorial, pode contribuir como modelo em gestão de sustentabilidade. “O Brasil é um importante ator no cenário internacional, sobretudo no que diz respeito ao debate ambiental. Precisamos ser exemplo para os demais países. Para manter gestos sustentáveis é necessário que consolidemos nossas ações cotidianas. São essas atitudes que transformarão o Brasil em um país melhor”.
 
Crédito Foto: Paulo de Araújo/MMA

“Estamos transformando as políticas públicas de inclusão digital, através do SGDC”, diz diretor da Telebras, em Congresso Latinoamericano de Satélites

14 de agosto de 2018

Encontro discute o presente e o futuro do mercado satelital

Começou na manhã desta terça-feira, 14, no Hotel Windsor Barra, no Rio de Janeiro, o 17º Congresso Latinoamericano de Satélites. Entre os participantes de hoje estão o diretor Comercial da Telebras, Alex Magalhães e a gerente geral da Viasat para o Brasil e vice-presidente para a América Latina, Lisa Scalpone. Eles fizeram parte de um painel sobre as perspectivas para o satélite brasileiro em uso comercial. O evento segue até amanhã, 15.

Para Alex, o objetivo do Satélite Geoestacionário Brasileiro, SGDC, é o de dar ao governo federal as condições de cumprir seu papel social e de retribuir para a sociedade os impostos que foram recolhidos e aplicados no equipamento.

“Está no DNA da Telebras massificar a banda larga, atender o Brasil como um todo e dar condições para a sociedade e também aos órgãos de governo, para que consigam melhorar ainda mais a sua gestão, reduzir gastos e aplicar recursos nas áreas essenciais. O SGDC oferece esta oportunidade”, lembra.

Segundo ele, tanto o Satélite quanto a rede terrestre de fibra óptica da Telebras estão atendendo as necessidades de governo e é por esse motivo que a empresa vem renovando contratos na esfera federal. “O Decreto está colocado para todos e é neste sentido que estamos trabalhando.”

O Internet para Todos, um dos carros chefes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, tem o objetivo de levar banda larga para comunidades desassistidas. Na oportunidade, o diretor Comercial enfatizou que o programa chegará a mais de 5 milhões de pessoas, em 40 mil localidades que não têm nenhum tipo de conexão, nem mesmo telefone fixo.

“Queremos dar condições para que a internet chegue com um valor acessível. Assim que o SGDC estiver operacionalizando poderemos cumprir o contrato Gesac e levaremos internet às escolas, postos de saúde e áreas de fronteira de nosso país.”

Ele fez referência ao período em que o Satélite está sem uso por conta do processo judicial que ainda impede a operacionalização do SGDC. “Se tivéssemos mantido o cronograma de instalação desde março deste ano, hoje mais de 6 mil escolas já teriam as antenas instaladas, o que representa mais de um milhão de alunos que não têm como receber o sinal”, lamentou.

Alex citou outras áreas que irão ganhar atenção do governo a partir da conectividade via Satélite da Telebras. “Queremos investir no serviço ao cidadão com uma carteira digital, que é uma bandeira do Ministério do Trabalho, para que, com isso, o Brasil passe a ter um banco de dados previdenciário. Também queremos melhorar o acesso que a plataforma Dataprev tem, levando as consultas de beneficiários, pensionistas e aposentados a uma atualização rápida e precisa. Um dos objetivos é conectar, ainda, os órgãos que tratam a biodiversidade brasileira, como Ibama, ICMBio, serviço florestal brasileiro, e todos os órgãos envolvidos, para que tragam resultados para a biodiversidade, catalogando, fiscalizando e permitindo que os recursos sejam controlados e investidos, aonde, de fato, sejam necessários. Precisamos conectar vários serviços, inclusive as penitenciárias que ficam em locais remotos. E, com a mesma ênfase, dar uma atenção especial ao agronegócio, setor que garante o PIB brasileiro. Sem conectividade as aplicações via IOT não poderão alcançar a cadeia produtiva do agronegócio. Estamos tentando transformar as políticas públicas, usando o SGDC”, concluiu.

Também estão presentes, representando a Telebras no evento, o diretor Técnico-Operacional, Roberto Pinto Martins; o chefe de Gabinete, Luiz Fernando Ferreira Silva; e os gerentes Sebastião do Nascimento Neto, de Engenharia de Operação de Satélites; Bruno Henriques Soares, de Tecnologia e Soluções Satelitais e Hélcio Vieira Júnior, de Relacionamento com Operadoras e Parceiros.

Viasat: parceira comercial da Telebras

Já Lisa Scalpone lembrou que a empresa americana sente-se honrada em fazer parte da indústria de internet do Brasil. “Estamos convencidos de que a conexão de internet oferecida pelo satélite SGDC vai trazer grandes benefícios para os brasileiros. O foco da Viasat sempre tem sido conectar os desconectados. Nós, da Viasat, estamos muito entusiasmados para iniciar este trabalho no Brasil.”

Para reforçar a parceria de negócios com a Telebras, Lisa falou sobre a empresa americana, explicando que a Viasat é constituída por 5 mil funcionários. Scalpone contou que a empresa existe há 30 anos e que foi fundada por Mark Dankberg e Mark Miller, na garagem de casa do Mark Dankberg. Mark Dankberg ainda é o CEO, e o Mark Miller é ainda nosso CTO. Foi Miller quem desenhou todos os nossos satélites”.

Pioneirismo

“Fomos a primeira empresa a oferecer internet por satélite por 50 dólares economicamente acessível para as massas. Outro exemplo, é que fomos os primeiros a fornecer conexões de rede WiFi por 1 ou 2 dólares como algo que é de nosso interesse investir globalmente. Estamos construindo dois satélites com capacidade em terabits. Nesta perspectiva estamos continuamente buscando novos desafios”, enfatizou.

Visiona

Pela parte da manhã, após a abertura do evento, o presidente da Visiona, João Paulo Campos, fez palestra sobre ‘Modelo de novos satélites’.

O mundo dos satélites está mudando radicalmente. Novas constelações de média e baixa órbita (MEO e LEO) abrem novas possibilidades.

João Paulo abordou o tema, discutindo a chegada da era dos nanosatélites e suas novas utilidades, além da comunicação tradicional.

Sobre o evento:

O Congresso Latinoamericano de Satélites é o principal e mais relevante evento para o mercado de satélites da América Latina. O evento congrega mais de 300 participantes, incluindo os principais executivos das operadoras globais de satélite que atuam no Brasil, convidados internacionais, reguladores, governo e usuários nas áreas aeroespacial, transporte aeroviário, óleo e gás, setor financeiro, estatais e operadoras de telecom. Há 17 edições, o encontro é presença obrigatória para quem participa da indústria ou demanda soluções.

Na edição deste ano, o foco é o debate ampliado sobre o impacto das constelações LEO e MEO no mercado de satélites de comunicação, as constelações dedicadas a sensoriamento remoto e observação, o chamamento para novas posições orbitais, além dos debates sobre os novos nichos de mercado, como comunicação embarcada, backhaul para redes de telecomunicações, o mercado de vídeo IP entre outros temas.

Ministro Kassab abre a 70ª SBPC em Maceió

23 de julho de 2018

Telebras está presente no encontro que tem o objetivo de aprofundar o diálogo entre o MCTIC e os dirigentes de institutos

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, inaugurou, na manhã desta segunda-feira, 23, a Expotec – exposição científica organizada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) em parceria com os institutos de pesquisa vinculadas ao Ministério.

O espaço é uma das atrações da 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que acontece até sábado, 28, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

A mostra, que ocupa uma área de 1,2 mil metros quadrados, possui estandes com os principais projetos científicos desenvolvidos pelas unidades de pesquisa e entidades vinculadas ao MCTIC.

A Telebras é um dos órgãos de governo presentes. No estande da Companhia os visitantes podem conferir uma réplica do SGDC, o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas da Telebras, lançado em 2017.

A Expotec também tem programação própria, com palestras, cineclube, lançamento de livros e editais.

O evento é aberto ao público. As programações poderão ser assistidas gratuitamente pelos visitantes, sem a necessidade de inscrição. A inscrição somente será necessária para quem quiser frequentar minicurso (vagas limitadas) ou ainda obter o certificado de participação geral e o material do evento.

Sobre a SBPC

A SBPC foi criada em 1948 e é uma entidade voltada à defesa do avanço científico e tecnológico e do desenvolvimento educacional e cultural do Brasil. Atualmente, possui cerca de 140 sociedades científicas associadas, em todas as áreas do conhecimento, e cerca de 5 mil sócios.

 
Página 1 de 1212345...10...Última »