Maximiliano recebe o ministro de Telecomunicações e Novas Tecnologias da Guiné Equatorial, Maximiliano Martín Meko Abeme

8 de dezembro de 2017


Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras, recebeu, nesta quinta-feira, 7, o ministro de Telecomunicações e Novas Tecnologias da Guiné Equatorial, Maximiliano Martín Meko Abeme. Na visita, Abeme manifestou a intenção de fortalecer os laços diplomáticos com o Brasil, ao afirmar que a experiência brasileira em telecomunicações é referência para o país africano.

Com o ministro, compareceram à Telebras o diretor-geral de Telecomunicações do Ministério de Telecomunicações e Novas Tecnologias (MTNT), José Luis Nsue Mañana Oye; o chefe do Pessoal de Gabinete do Ministério, Manuel Abaga Nzoho; e o embaixador da República da Guiné Equatorial, Wilfredo Obama Ela Mangue.

Brasil e Guiné Equatorial na busca do desenvolvimento das comunicações

A Guiné Equatorial é um dos novos integrantes da Associação de Reguladores de Comunicações e Telecomunicações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (ARCTEL-CPLP), da qual o Brasil faz parte. A Associação tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento do mercado de comunicações por meio do compartilhamento de informação entre as organizações reguladoras.

Segundo Abeme, os investimentos brasileiros em infraestrutura de telecomunicações e em transmissão de telefonia 4G são exemplos para a Guiné Equatorial. O ministro declarou que conta com o diálogo entre os países como posicionamento estratégico do governo para que o país africano avance nas telecomunicações.

 

 

 

 

 

Presidente da Telebras participa do 1º Seminário Internet e Eleições, promovido pelo CGI, MCTIC E TSE

 

“O debate sobre liberdade de expressão, privacidade e direitos sociais, tão importantes em um ano de eleição presidencial, passam necessariamente pela forma como os atores sociais se apropriam das tecnologias disponíveis na Internet para se comunicar com seus públicos”, disse Martinhão

Esta quinta-feira, 7, foi de discussão em torno de um tema atual e que passará a ser um dos centros de atenções políticas para as eleições de 2018. Candidatos devem explorar ao máximo as redes sociais e, diante da influência que a internet passa a ter, cada vez mais, nas eleições, o Comitê Gestor da Internet, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Informações e Comunicações e o Tribunal Superior Eleitoral promoveram ontem, no auditório 3 do TSE , o 1º Seminário Internet e Eleições. O presidente da Telebras e coordenador da CGI.Br, Maximiliano Martinhão, participou da mesa de debates.

Segundo Martinhão, o Comitê Gestor da Internet é um grupo multisetorial de especialistas de internet, formado por representantes dos setores governamentais, empresarial, acadêmico e do 3º setor. “A organização do CGI, pensada há mais de 20 anos, tem a incumbência de atuar na  natureza da internet, a qual faz com que as soluções para seus desafios sejam articuladas pelos diferentes atores que cuidam do desenvolvimento da rede”, lembra.

Influência nas eleições

Em seu discurso, Maximiliano lembrou que, recentemente, no processo de discussão da legislação da Reforma Politica, está a inclusão do dispositivo que previa a remoção de conteúdo da internet, sem necessidade de autorização judicial, em caso de não identificação pessoal do usuário responsável, por discurso de ódio, disseminação de informações falsas ou ofensas a partidos, etc.

O presidente da Telebras ressaltou que esta previsão surpreendeu o Comitê por violar o decálogo de princípios do CGI para a internet brasileira e também aspectos do Marco Civil da Internet. O CGI, então, pediu veto presidencial a este dispositivo. “Neste sentido é que o Comitê decidiu fomentar e participar de eventos relacionados às eleições e internet”, enfatizou.

A força da internet

“No início da internet, previu-se que o acesso direto e descomplicado à informação levaria a uma era onde o conhecimento seria equalizado através da rede e todos tomaríamos decisões melhores e mais informadas. Com ações governamentais e políticas, o Brasil ultrapassou a marca de mais de 120 milhões de pessoas conectadas (sendo o 4º no ranking do relatório da UNCTAD atrás de EUA, Índia e China)”, recapitulou.

A pesquisa CETIC do CGI indica que mais de 60% da população brasileira com idade superior a 10 anos de idade já estão na internet. A mesma pesquisa indica que 89% delas acessam a internet para usar aplicativos como o whatsapp e 78% para acesso às redes sociais.

“Com o avanço das tecnologias móveis como computadores portáteis, tablets, smartphones, criou-se um ambiente interativo ideal que ingressa irreversivelmente no nosso cotidiano. Hoje a internet já é a principal fonte de informação de boa parte de nossa população e por suas características técnicas, a Internet tem sido fundamental na formação da opinião pública”, lembra Martinhão.

Campanha de 2018

Maximiliano lembra que para a próxima campanha eleitoral, partidos e candidatos usarão a internet para fazer com que as suas mensagens e propostas cheguem até os eleitores.

“Muitos dos embates entre planos de governo, proposta de políticas públicas, transparência e ética acontecerão nesse ambiente, fazendo com que o espaço de debate político criado por provedores de aplicações e de conteúdos na Internet se consolide cada vez mais como parte importante da esfera pública. Por outro lado, a falta de uma curadoria aumenta a demanda por senso crítico daqueles que consomem as notícias e as informações”, diz.

Fake News

“Como vemos todos os dias nas redes sociais, estamos expostos constantemente a fake news e opiniões que nelas se ancoram. Vivemos um mundo de pós-verdade, onde diversos estudos revelam que fatos pouco contribuem para mudar opiniões. De junho do ano passado, quando a Inglaterra realizou um referendo para sua saída da União Europeia, passando pela eleição do presidente Trump, nos Estados Unidos, o papel da Internet na democracia passou a estar em destaque como nunca antes”.

 Internet x Eleições

De acordo com Maximiliano, a regulação do ambiente online durante o processo eleitoral é tarefa fundamental e bastante complexa. Para o coordenador do Comitê, a comunicação entre indivíduos na Internet é amplamente dependente de uma série de agentes privados que se distribuem nas camadas de infraestrutura, rede e de aplicações. A forma como tais agentes privados gerenciam conteúdos em suas redes está atrelada a termos de uso privado que, não raramente, entram em confronto com o ambiente legal e regulatório dos países onde se situam os usuários de tais serviços.

“Desta forma, o debate sobre liberdade de expressão, privacidade e direitos sociais, tão importantes em um ano de eleição presidencial, passam necessariamente pela forma como os atores sociais se apropriam das tecnologias disponíveis na Internet para se comunicar com seus públicos. Em 2018 teremos, pela primeira vez desde a intensificação desse debate, eleições majoritárias no Brasil para mais de 144 milhões de eleitores. Serão eleições em que a Internet e essa nova maneira de comunicar terão um impacto que nunca tiveram antes”, ressalta Martinhão.

Maximiliano representa a Telebras na abertura oficial do BR/EU ICT Week 2017

5 de dezembro de 2017

Na manhã desta terça-feira, 5, o , Maximiliano Martinhão, representou a Companhia na abertura oficial do BR/EU ICT Week: Inovação e Transformação Digital. O evento, que iniciou ontem, 4, é uma realização conjunta do Brasil e da União Europeia, no âmbito dos Diálogos Setoriais e está sendo realizado no  auditório do Bloco R, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

A programação encerra hoje e conta com a participação de brasileiros e estrangeiros do Governo, das instituições de ensino e pesquisa, desenvolvedores de aplicações e representantes da indústria de TIC. Empresas de consultoria e especialistas na área também participam com os seguintes temas: Manufatura Avançada, Inteligência Artificial e Regulação de Algoritmos, Empreendedorismo Digital, Internet das Coisas (IoT) e 5G.

“O Brasil e a União Europeia têm muito a compartilhar neste momento em que a tecnologia se tornou fundamental para o desenvolvimento. A Telebras representa o Brasil como provedor desta revolução tecnológica em nível de país. Estamos permitindo inclusão social ao Brasil em uma área territorial imensa e de potencial de competitividade global”, enfatiza Martinhão.

Presidente anuncia início da implantação do Cabo Submarino

Na oportunidade o presidente Martinhão revelou informações sobre o Cabo Submarino. “A iniciativa de construção do Cabo Submarino pela Telebras surgiu do diálogo levantado entre o Brasil e a União Europeia. A Telebras está ultimando os processos para que essa importante conexão entre a América do Sul e a União Europeia possam entrar em implantação já no primeiro semestre de 2018″, diz.

A programação do BR/EU ICT Week: Inovação e Transformação Digital pode ser acompanhada pelo https://goo.gl/Xt76Ps.

Presidente da Telebras recebe deputado federal Áureo Lídio, do Rio de Janeiro

4 de dezembro de 2017

Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras, recebeu, na última sexta-feira, 30, o deputado federal pelo Rio de Janeiro, Áureo Lídio Moreira Ribeiro (Solidariedade). Na oportunidade o parlamentar falou sobre assuntos relacionados à inclusão digital e ao desenvolvimento da internet no Brasil.

Martinhão agradeceu a visita e falou da importância de oportunidades como esta, seja com parlamentares ou com a sociedade. “É a partir do diálogo que a Companhia toma conhecimento das necessidades envolvendo telecomunicações no país. Visitas como esta enriquecem nossa visão e nos permitem um bom planejamento de trabalho, especialmente para 2018. A Telebras está de portas abertas sempre. Nosso objetivo é fomentar o desenvolvimento de um Brasil cada vez mais conectado”, diz.

Obras do Centro de Operações Espaciais do RJ estão 45 dias adiantadas

27 de novembro de 2017

Presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, visitou o COPE-S acompanhado do Diretor Técnico Operacional, Jarbas Valente

Na tarde da última quarta-feira, 22, o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, esteve na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, onde está sendo construído o Centro de Operações Espaciais Secundário, o COPE-S. Esta é a segunda vez, em dois meses de gestão, que o presidente da Companhia visita a obra, considerada o backup da operação terrestre do Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações Estratégicas, o SGDC. Antes da visita ao COPE-S, Martinhão esteve no Escritório Regional do RJ, onde foi recepcionado pela gerente Soraia Emery de Carvalho Braga e sua equipe.

Maximiliano esteve no COPE-S acompanhado do diretor Técnico Operacional, Jarbas Valente. Na oportunidade eles avaliaram o andamento das obras que ocupam mais de sete mil metros quadrados da área da Marinha. A previsão da entrega operacional do COPE S é agosto de 2018.

O Centro de Operações Espaciais do Rio de Janeiro está orçado em R$ 90 milhões e conta com cerca de 250 funcionários nesta etapa. “Estamos com 45 dias de adiantamento em relação ao cronograma aprovado pela Telebras. É com expectativa que visualizamos a conclusão adiantada de mais este projeto de tamanha dimensão. O controle rígido de prazos e gastos com que a obra vem sendo administrada permitem esse momento exitoso de nossa Companhia”, lembra Martinhão.

O engenheiro Antônio Rogério Silva, especialista em Gestão de Telecomunicações da Telebras, demonstrou satisfação pela visita da Diretoria. “Ficamos muito felizes em recebê-los. É uma oportunidade para relatar nosso orgulho de estarmos contribuindo para este importante projeto da empresa”, diz.

 

COPE P – Brasília está com as obras adiantadas em 63 dias 

O Centro de Operações Espaciais Principal está sendo construído em Brasília, na Base da Aeronáutica. A entrega operacional do COPE-P também está prevista para agosto de 2018. A obra está situada em uma área de 15 mil metros quadrados. Depois de entrar em funcionamento, o COPE-P contará com cerca de 300 colaboradores, divididos em três turnos.
A obra do COPE-P está orçada em R$ 163 milhões, considerando a construção, fornecimento, instalação de equipamentos e as duplas abordagens elétricas e ópticas. Nesta obra o adiantamento dos trabalhos é ainda maior: 63 dias. A função do COPE-P é a de controle e monitoramento do Satélite e também de provimento dos serviços de Banda Larga, em banda Ka, além do controle da Banda X, através do Ministério da Defesa.

 Segundo o gerente de Engenharia e Operação de Satélites, Sebastião do Nascimento Neto, o andamento acelerado das obras é uma indicação de que o esforço concentrado das diversas áreas da Telebras começa a ser coroado. “Em breve estaremos operando a todo vapor levando Internet banda larga a todo território nacional”, comemora.

Para o engenheiro Rodrigo Botelho, gerente de Infraestruturas e Manutenção da Planta, “2017 foi um ano em que a Telebras teve a oportunidade de mostrar a que veio. Tiramos o Projeto SGDC do papel e trouxemos para a realidade. Esta e outras obras nos dão a certeza de que tudo está fluindo, da melhor forma possível”, enfatiza.

Futuros Engenheiros de Telecomunicações também visitaram o COPE-S

Nesta semana, alunos do curso de Engenharia de Telecomunicações da Universidade Federal Fluminense do Rio de Janeiro também visitaram o COPE S. Os universitários demonstraram interesse em entender a construção do Centro de Operações Espaciais e fizeram perguntas sobre o Satélite e a Telebras. Os colaboradores da Companhia, Alex, Fabio, Gabriel e Jonny, ex-alunos da mesma instituição, recepcionaram os estudantes.

 
Página 2 de 3512345...102030...Última »