EFICIÊNCIA E PLANEJAMENTO

23 de janeiro de 2018

Obras pertencentes ao Projeto do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação Estratégica – SGDC – encontram-se dentro do cronograma planejado

Os Centros de Operações Espaciais (COPEs) estão com as obras adiantadas. O modelo de gestão executado servirá de base para futuras auditorias realizadas pelo Tribunal de Contas da União – TCU – em obras do poder público. A ferramenta BIM –Building Information Modeling, em português, Modelagem da Informação da Construção, influenciou no sucesso desse planejamento. O sistema permite prever os pontos críticos com o cruzamento de informações de arquitetura integrada à engenharia e à sustentabilidade, pois elimina desperdícios de material e retrabalhos.

A obra é gerida por uma equipe de oito engenheiros da Telebras e está sendo um desafio para todos os envolvidos, por seu alto grau de complexidade e criticidade.

COPE-P

O projeto arquitetônico do COPE-P foi concebido para lembrar o formato de um satélite e já conta com a antena principal posicionada em local definitivo. A estrutura contempla um banker para acomodação da área de data center com resistência contra choques balísticos, situações de ataque ou imprevistos da natureza.

Para o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, é um desafio para a Companhia colocar em prática uma obra desta dimensão. “Tirar do papel é missão para quem acredita definitivamente em seus projetos. A Telebras tem essa ótica diante do SGDC e do projeto como um todo. A parte terrestre é fundamental e também complexa, em termos de segurança, estrutura e funcionalidade. Diante do cenário atual de recursos disponíveis, podemos dizer que a Companhia está sendo ousada e corajosa. É uma execução de duração centenária que ficará para o país, como uma obra de extrema importância para o Projeto SGDC e para a Telebras. O NOC, por exemplo, será transferido para o Cope P, e contará com uma estrutura quatro vezes maior que a atual”, diz Max.

A área do Centro Integrado de Gerência de Rede (CIGR), que controla todo o gerenciamento de rede da Telebras, que hoje conta com 24 posições, dobrará de tamanho no novo bloco operacional.

COPE-S

O Centro de Operações Espaciais Secundário, COPE-S, considerado o backup da operação terrestre do Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações Estratégicas, o SGDC, também está em fase adiantada de construção. A obra ocupa mais de sete mil metros quadrados da área da Marinha.

“É com expectativa que visualizamos a conclusão adiantada de mais este projeto. O sucesso no andamento das obras se deve muito ao controle rigoroso de prazos e gastos de nossos profissionais”, lembra Martinhão.

 Gateways

As Gateways são estações que fazem a interconexão entre o Satélite e os clientes. São estações do segmento solo do SGDC, assim como os Centros de Operações Espaciais (COPE’s), que ficam em Brasília e no Rio de Janeiro. Sem as Gateways se torna impossível o atendimento aos clientes, pois as estações são imprescindíveis para levar internet aos lugares de difícil acesso.

A previsão é de que as Gateways de Florianópolis, Salvador e Campo Grande sejam concluídas até março de 2018. Os COPEs de Brasília e Rio de Janeiro também exercerão essa função de interconexão, já em condições de operação pelas estruturas provisórias.

Estações CMS

As oito Estações CMS – Carrier Monitoring System- (em português: Sistema de Monitoramento de Tráfego) espalhadas por locais estratégicos do território nacional estão concluídas e com equipamentos instalados. Elas servem para realizar a telemetria do SGDC.

Visitas

Os assessores da presidência, Leonardo Zago, Marcus Fabricio Borghezani e Gregory Bunn visitaram as obras do COPE-P na última quinta-feira, 17 de janeiro. Foram recepcionados pelos engenheiros Rodrigo Machado e João Luiz Ramalho.

Na ocasião percorreram toda a obra e ficaram impressionados com a grandiosidade e grau de eficiência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Telebras caminha a passos largos em direção ao equilíbrio e sustentabilidade

12 de janeiro de 2018

“A conclusão do processo de aumento de capital e reforma estatutária são passos importantes no caminho da sustentabilidade e governança da Telebras, diretrizes estratégicas definidas por nossa diretoria executiva para a gestão da companhia.”, diz Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras.

As Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs) realizadas na manhã de quinta-feira, 11 de janeiro, trouxeram dois dos fatos mais importantes para a Telebras desde a sua reativação: a homologação do aumento de capital social e a aprovação da reforma estatutária.

Governança

Na primeira AGE do dia, os acionistas aprovaram a reforma do Estatuto Social. Desde a reativação da Telebras não havia uma reforma dessa magnitude. Ela contribui para elevar os padrões internos e os adequar às práticas mais modernas de governança, refletindo na qualidade da imagem da empresa.

A reforma estatutária compreende os ajustes necessários para atender as recomendações da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério do Planejamento – SEST, da Lei 13.303/16 e do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), principais referências do Brasil para o desenvolvimento das melhores práticas de governança.

Segundo o Gerente de Governança da Telebras, José Humberto Soares, a obrigação da empresa vai além de apenas cumprir a lei, ela deve aprimorar o processo de gestão e transparência: “Mais do que uma obrigação é uma necessidade em função da grande expectativa de crescimento da empresa nos próximos anos”.

Valorização

Na AGE seguinte, os acionistas homologaram o aumento de capital advindo de aportes da União para execução dos projetos do SGDC, PNBL e Cabo Submarino. Com isso, a estatura da companhia foi alterada e se tornou bilionária. O capital social que era de R$ 263.145.011,82 passou a ser de R$ 1.594.666.570,00.

Para o Diretor Administrativo Financeiro da Telebras, Paulo Ferreira, as Assembleias coroaram um trabalho intenso realizado pela empresa. “Esse fato é relevante porque pela primeira vez o patrimônio da Telebras passa a ser positivo. Concluído esse processo de aporte financeiro da União, outro já está sendo preparado para nova transferência de recursos. Esses fatos conjugados permitem, num horizonte razoavelmente curto, a sustentabilidade econômica da empresa.”, completa Paulo Ferreira.

De acordo com Maximiliano Martinhão, essas mudanças são fundamentais para a empresa. “Agora é colocar em prática o novo Estatuto e fazer com que a empresa cumpra seu papel na democratização das comunicações no país. 2018 é um ano promissor para a Telebras”, conclui.

Tecnologia da Telebras na Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT

11 de janeiro de 2018

“Mais um passo importante na consolidação dos serviços da Telebras para o país. A ANTT poderá contar com nossa rede para assegurar aos usuários a melhor prestação de serviços de transporte terrestre”, diz Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras.

A ANTT garante a entrega de um serviço vital para a população. O transporte terrestre é por onde transita a maioria dos cidadãos e escoa grande parte da produção nacional. Só de rodovias, o Brasil possui mais de 1,7 milhão de quilômetros responsáveis por interligar todas as partes do país.

Dentre as imprescindíveis atividades da agência estão a regulação, supervisão e fiscalização das atividades de prestação de serviços e de exploração da infraestrutura de transportes, visando assegurar a movimentação de pessoas e bens. A qualidade desse serviço é fundamental para girar a economia do país.

A Telebras vai garantir a integração e maior qualidade da comunicação de dados, voz e imagem, de alta velocidade, que permitirá a integração de toda rede da ANTT entre suas unidades espalhadas pelo país, visando a eficiente gerência das vias, terminais, equipamentos e veículos.

“É a Telebras seguindo a missão de atuar como fornecedora estratégica de soluções de telecomunicações e como agente de desenvolvimento nacional”, completa o presidente da Telebras.

Sobre a ANTT:

Criada pela Lei nº 10.233, a Agência Nacional de Transportes Terrestres é uma autarquia sob regime especial, que tem sede e foro no Distrito Federal, e está presente em todo o território nacional por meio das Unidades Regionais e Postos de Fiscalização.

Tem por finalidade regular, supervisionar e fiscalizar as atividades de prestação de serviços e de exploração da infra-estrutura de transportes, exercidas por terceiros, visando garantir a movimentação de pessoas e bens, harmonizar os interesses dos usuários com os das empresas concessionárias, permissionárias, autorizadas e arrendatárias, e de entidades delegadas, preservado o interesse público, arbitrar conflitos de interesses e impedir situações que configurem competição imperfeita ou infração contra a ordem econômica.

Telebras aliada ao Sebrae no incentivo às Micro e Pequenas Empresas

9 de janeiro de 2018

“A parceria efetiva e de sucesso com o Sebrae contribui para o desenvolvimento econômico do país e traz benefícios para as milhares de micro e pequenas empresas no Brasil. É tecnologia de ponta ajudando o país na retomada da economia”, diz presidente da Telebras. 

A Telebras inicia 2018 com uma importante parceria: a interligação de todos os escritórios do Sebrae Nacional. De acordo com Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras, a empresa contribui para o crescimento da economia no país, que se traduz em aumento de renda e capital nos diversos municípios atendidos pelas ações conduzidas pelo Sebrae.

O objetivo é maximizar a comunicação entre os pontos e permitir a utilização de serviços de multimídia em geral. O Sebrae e as milhares de micro e pequenas empresas terão maior rapidez na concretização de ações que resultarão em ganhos para todas as partes.

Além da sede nacional, em Brasília, a instituição conta com pontos de atendimento nas 27 unidades da Federação. O Sebrae Nacional é responsável pelo direcionamento estratégico das ações, definindo diretrizes e prioridades de atuação. As unidades estaduais desenvolvem ações de acordo com a realidade regional e as diretrizes nacionais. Em todo o país, mais de 5 mil colaboradores diretos e cerca de 8 mil consultores e instrutores credenciados trabalham para transmitir conhecimento para quem tem ou deseja abrir um negócio.

“O Sebrae pode contar com a Telebras para levar informação e incentivo a todos que empreendem no Brasil”, conclui Max.

Sobre a Telebras:

A Telecomunicações Brasileiras S.A. – Telebras –  é fornecedora estratégica de soluções de infraestrutura de telecomunicações para prover comunicação entre os órgãos e entidades da administração pública, empresas privadas e entidades não governamentais. Atua como agente do desenvolvimento nacional, fomentando a democratização do acesso à informação. Seus 22 mil quilômetros de backbone formam uma rede terrestre moderna e com tecnologia de ponta. Chega aos locais mais remotos, reduzindo o custo de conexão, promovendo inovação tecnológica, inclusão social e digital.

Sobre o Sebrae:

 O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma entidade privada que promove a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte – aqueles com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões.

Em 2017 completou 45 anos, atuando com foco no fortalecimento do empreendedorismo e na aceleração do processo de formalização da economia por meio de parcerias com os setores público e privado, programas de capacitação, acesso ao crédito e à inovação, estímulo ao associativismo, feiras e rodadas de negócios.

As soluções desenvolvidas pelo Sebrae atendem desde o empreendedor que pretende abrir seu primeiro negócio até pequenas empresas que já estão consolidadas e buscam um novo posicionamento no mercado.

Telebras focada em um 2018 promissor e cheio de desafios

22 de dezembro de 2017

2017 se despede com histórias para contar, entre elas contratos importantes firmados, sucesso no lançamento do SGDC e a projeção do Cabo Submarino que vai ligar Brasil à Europa

Com a palavra, o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão:

“2017 foi o ano em que o Brasil ganhou com a eficiência de uma Companhia genuinamente brasileira. O ano em que a Telebras entrou para a história, selou sua marca como uma empresa pioneira em telecomunicações via Satélite e conquistou seu reconhecimento no mercado de ações, com aporte humano e social para a Nação. Se soma às Companhias bilionárias e escreve seu nome no cenário mundial como empresa de capital aberto, com potencial para céu e mar. 2018 se aproxima e, com ele, a possibilidade de internet de qualidade através de um Cabo Submarino, conectando o Brasil ao Continente Europeu. Esta é a Telebras, a Estatal brasileira que se reinventou com o passar do tempo e chega altiva aos 45 anos de história.

O ano encerra com 357 colaboradores diretos e mais de 500 prestadores de serviços indiretos, distribuídos em 50 empresas contratadas. Um aporte de R$ 1,3 bi no capital social da empresa, que permite, para o próximo ano, visualizar uma Telebras autossustentável. Uma nova capitalização está prevista para 2018 no montante de R$ 1,2 bi. No próximo ano, a busca pelo equilíbrio social e econômico da Companhia passa a ser uma realidade alcançável e em constante manutenção pela Diretoria Executiva. Temos a missão de ser uma empresa de ponta, de tecnologia e inovação e o caminho vem sendo trilhado, com seriedade, maturidade, energia e segurança.

A Lei de Responsabilidade das Estatais chega também para somar em nossa Companhia. Com as exigências vem o aperfeiçoamento dos processos de gestão, que produz transformações internas com foco na integridade e transparência, nas relações com os clientes, com os investidores e com a sociedade.

Os novos parâmetros para compras e licitações serão certamente fatores determinantes para uma melhoria contínua no nível de excelência da empresa. Parte do trabalho já foi concluído em 2017 e, para os próximos 5 anos, a meta é perseguir a consecução dos grandes objetivos. Entre eles podemos citar: a viabilização da operação do Cabo Submarino; a continuação da rentabilidade na operação do SGDC 1; a viabilização do Projeto SGDC 2; a busca de acesso a 40 mil localidades com internet popular; a rentabilização da rede terrestre e a autonomia econômica da empresa.

A estrutura gigantesca em terra que faz conexão com o Satélite também cumpriu todos os prazos. Mais que isso, está com adiantamento de entregas. São dois Centros de Operações Espaciais, um em Brasília e o outro no Rio de Janeiro e mais três antenas instaladas em três estados que abrigam as Estações Gateways: Florianópolis (SC), Salvador (BA) e Campo Grande (MT). Em meio a estas obras, profissionais altamente qualificados dando conta de datas, custos e avaliações. Com antecedência nas etapas entregues, o Projeto SGDC chega ao fim de 2017 com razões suficientes para se consolidar como um dos feitos a se comemorar no Brasil.

A Telebras abrange hoje, diretamente e através de parceiros, uma população superior a 130 milhões de habitantes e alcança 1.524 municípios do Brasil, além do atendimento à rede privativa de comunicação da administração pública federal. A Companhia opera uma rede terrestre com Backbone baseado em cabos de fibra óptica estruturados em cinco anéis geográficos distribuídos no nordeste, sudeste, sul, centro-sul e norte, totalizando 28 mil Km de extensão de rede. São 195 provedores atendendo as 27 unidades da Federação.

Estamos encerrando 2017 com a certeza de que podemos ir além. Contratos importantes foram fechados. Uma soma de forças de toda equipe Telebras, que, dia após dia, vai na linha da ética e do conhecimento, na ânsia de garantir o melhor para os colaboradores, para a trajetória da Companhia e para o Brasil.

Nesta reta final de 2017 ficam meus cumprimentos à Telebras, a empresa que faz telecomunicações no Brasil e para o Brasil. A segurança das informações sensíveis ao país reflete sua soberania e ela também estará coberta por um de nossos projetos. Precisamos nos comunicar através das tecnologias e, para a Telebras, todos os usuários têm o mesmo valor. A cultura democrática prevalece, pois a missão da empresa é servir à Nação.

Espero e acredito em um 2018 promissor e de muito trabalho. Teremos desafios pela frente, mas, certamente, eles servirão para o crescimento e o progresso de nossa Companhia.

Muito obrigado e o desejo de Boas Festas e um Feliz Ano Novo a todos!”

Maximiliano Martinhão

Presidente

 
Página 10 de 45« Primeira...89101112...203040...Última »