Imprimir Imprimir

Telebras caminha a passos largos em direção ao equilíbrio e sustentabilidade

12 de janeiro de 2018

“A conclusão do processo de aumento de capital e reforma estatutária são passos importantes no caminho da sustentabilidade e governança da Telebras, diretrizes estratégicas definidas por nossa diretoria executiva para a gestão da companhia.”, diz Maximiliano Martinhão, presidente da Telebras.

As Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs) realizadas na manhã de quinta-feira, 11 de janeiro, trouxeram dois dos fatos mais importantes para a Telebras desde a sua reativação: a homologação do aumento de capital social e a aprovação da reforma estatutária.

Governança

Na primeira AGE do dia, os acionistas aprovaram a reforma do Estatuto Social. Desde a reativação da Telebras não havia uma reforma dessa magnitude. Ela contribui para elevar os padrões internos e os adequar às práticas mais modernas de governança, refletindo na qualidade da imagem da empresa.

A reforma estatutária compreende os ajustes necessários para atender as recomendações da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério do Planejamento – SEST, da Lei 13.303/16 e do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), principais referências do Brasil para o desenvolvimento das melhores práticas de governança.

Segundo o Gerente de Governança da Telebras, José Humberto Soares, a obrigação da empresa vai além de apenas cumprir a lei, ela deve aprimorar o processo de gestão e transparência: “Mais do que uma obrigação é uma necessidade em função da grande expectativa de crescimento da empresa nos próximos anos”.

Valorização

Na AGE seguinte, os acionistas homologaram o aumento de capital advindo de aportes da União para execução dos projetos do SGDC, PNBL e Cabo Submarino. Com isso, a estatura da companhia foi alterada e se tornou bilionária. O capital social que era de R$ 263.145.011,82 passou a ser de R$ 1.594.666.570,00.

Para o Diretor Administrativo Financeiro da Telebras, Paulo Ferreira, as Assembleias coroaram um trabalho intenso realizado pela empresa. “Esse fato é relevante porque pela primeira vez o patrimônio da Telebras passa a ser positivo. Concluído esse processo de aporte financeiro da União, outro já está sendo preparado para nova transferência de recursos. Esses fatos conjugados permitem, num horizonte razoavelmente curto, a sustentabilidade econômica da empresa.”, completa Paulo Ferreira.

De acordo com Maximiliano Martinhão, essas mudanças são fundamentais para a empresa. “Agora é colocar em prática o novo Estatuto e fazer com que a empresa cumpra seu papel na democratização das comunicações no país. 2018 é um ano promissor para a Telebras”, conclui.

 

Deixe um comentário!

*required

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>