Imprimir Imprimir

Com 200 km de fibra óptica, projeto Xingu Conectado vai beneficiar 600 mil pessoas

15 de março de 2017

As obras, já em andamento, vão custar R$ 14 milhões para levar banda larga a 12 municípios da região do Xingu. Prefeitos de 12 cidades do Pará comemoram a iniciativa.

Uma rede de fibra óptica de 200 quilômetros começa a ser implantada na região do Xingu, no Pará, para levar internet banda larga para 12 municípios, beneficiando 600 mil pessoas. A iniciativa, conhecida como projeto Xingu Conectado, foi apresentada nesta quarta-feira (15) aos prefeitos da região pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

O projeto é uma ação conjunta do Governo Federal, através do MCTIC e Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Telebras, Governo do Pará e Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa). As obras vão custar R$ 14 milhões e beneficiar a população dos municípios de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Gurupá, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará, Vitória do Xingu e São Félix do Xingu.

“Uma das maiores demandas de todos os prefeitos das comunidades daquela região é exatamente a melhoria do acesso à internet de banda larga e das comunicações de maneira geral. A reunião de hoje marca o começo das obras, com o lançamento dos primeiros ramais que partirão da cidade de Altamira para atender as cidades de Medicilândia e Brasil Novo, que devem ficar prontos até maio. A perspectiva de futuro que a gente tem é da melhoria da gestão pública e dos serviços prestados à população”, afirmou o diretor de Inclusão Digital do MCTIC, Américo Bernardes.

Segundo ele, a infraestrutura do projeto consiste na implantação de uma rede de fibra óptica de 200 km, conectando todas as cidades que estão na Transamazônica, além de um projeto de rádio de alta capacidade para as cidades de Vitória do Xingu e Senador José Porfírio, que ficam na margem do rio. “A expectativa é de que em um ano toda essa infraestrutura esteja concluída, inclusive as redes metropolitanas nas cidades que estão envolvidas”, destacou.

Américo Bernardes disse ainda que essa é uma região onde estão os maiores municípios brasileiros. “Altamira, por exemplo, é um município que tem mais de 1.000 km de distância e abrange comunidades de todo tipo, com escolas rurais e aldeias. Todas essas comunidades serão beneficiadas, inclusive com outras ações do ministério, como conexão de comunidades em áreas remotas por satélite e ações de formação e capacitação nas cidades, que complementarão esse projeto. Então, não é só chegar com infraestrutura. É chegar com condições também para melhorar o desenvolvimento local”, ressaltou.

De acordo com presidente da Telebras, Antônio Loss, o projeto vai permitir a conexão de banda larga com menor preço para população e para as prefeituras. Ele apresentou aos prefeitos um vídeo da simulação do lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), previsto para ser lançado na próxima terça-feira (21), na Guiana Francesa. “O satélite permitirá a cobertura de forma igual em todo território brasileiro, sem exceção, com internet de até 20 mega. Nosso agradecimento a todos os envolvidos especialmente à Poliana Marcolino Corrêa, coordenadora da Câmara Técnica de Infraestrutura do Plano de Desenvolvimento Regional do Xingu, que tão bem vem conduzindo os trabalhos”, disse.

O prefeito de Porto de Moz e presidente do Consórcio da Associação dos Municípios de Belo Monte, Rosibergue Torres Campos, comemorou a implantação do projeto Xingu Conectado. “Vamos conseguir oferecer um serviço melhor para nossa população e, principalmente, vamos ter acesso a outros órgãos por meio da internet.”

“O programa vai permitir a economia dos gastos que hoje o poder público tem para conseguir internet de qualidade e a melhoria dos provedores que vão distribuir para toda população, inclusive barateando o custo. Hoje nós temos muita dificuldade nas políticas públicas que precisam ser abastecidas todos os dias, na saúde, na educação e na assistência social. O projeto vai garantir uma prestação de serviços para sociedade com muito mais qualidade. Não podemos esquecer que essa é uma das maiores regiões produtoras de cacau do país”, acrescentou o prefeito de Brasil Novo, Alexandre Lunelli.

 

Fotos: AsCom MCTIC