Imprimir Imprimir

Cabo Submarino Brasil-Europa vai conectar Fernando de Noronha

3 de maio de 2016

O projeto Cabo Submarino da Telebras deverá conectar Fernando de Noronha na sua passagem para a Europa, tirando a ilha do seu isolamento digital. Proposta nesse sentido foi apresentada nesta segunda-feira (2) ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara, pelo presidente da Telebras, Jorge Bittar, e da EllaLink, João Pedro Flecha de Lima, joint-venture entre a estatal brasileira e a espanhola Islalink para cuidar do projeto.

A proposta de conexão da ilha de Fernando de Noronha pelo Cabo Submarino Brasil-Europa foi bem recebida pelo governo de Pernambuco, que está disposto a apoiar investimentos para a sua realização. O cabo passará cerca de 60 km da ilha e será necessário apenas uma extensão para o local.

O governador solicitou uma proposta formal da EllaLink e da Telebras para viabilizar o acordo. Haverá nova reunião entre as duas partes, neste mês de maio, para avançar na parceria.

Governador Paulo Câmara, Jorge Bittar e João Pedro Flecha de Lima

Governador Paulo Câmara, Jorge Bittar, João Pedro Flecha de Lima e secretários

Participaram também da reunião, o gerente comercial da EllaLink para o Brasil e América do Sul, Erivan Paiva, e o gerente de Engenharia de Redes de Acesso da Telebras, Luiz Fernando dos Passos. Pelo governo de Pernambuco, o chefe de gabinete do governador, João Campos; a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Melo; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Tiago Arraes; e também o deputado Augusto Coutinho (SD-PE).

Apoios

O projeto Cabo Submarino Brasil-Europa conta com o apoio dos Governos do Brasil e da União Europeia, no sentido de promover uma maior integração e unidade nos assuntos culturais, sociais, científicos, econômicos e políticos de seus povos, priorizando o diálogo político, as políticas sociais, educação, infraestrutura, entre outros, para eliminar a desigualdade socioeconômica, alcançar a inclusão social, e reduzir as assimetrias no marco do fortalecimento dessa área geoestratégica.

Atualmente, a interligação direta com o continente europeu ainda se dá por meio de um único cabo, lançado há quase duas décadas e já completamente esgotado em sua capacidade de transmissão de dados. Todos esses cabos são de propriedade de empresas privadas, controladas por grupos estrangeiros, com alguma participação de empresas e investidores nacionais.

A previsão de investimentos é de US$ 185 milhões na construção do cabo. Em junho de 2015 foi assinado Acordo de Acionistas entre a Telebras e a IslaLink para constituição de estrutura societária com controle de capital nacional, e criada a empresa EllaLink, que vai coordenar a implantação do projeto.

Ao longo do ano de 2016 a nova empresa terá como principal foco consolidar acordos de fornecimento de serviços com potenciais clientes e, ainda no primeiro trimestre do ano, será iniciado o processo de seleção dos potenciais fornecedores para construção do sistema.

A entrada em operação do cabo está prevista para 2017 e terá capacidade total de 30 terabits por segundo, iniciando a operação com 500 gigabits.

O novo cabo permitirá que o Brasil e demais países da América do Sul tenham acesso direto aos maiores Pontos de Troca de Tráfego (PTTs) do mundo, localizados nas cidades de Frankfurt, Amsterdã, Londres e Paris, ampliando a oferta de capacidade de tráfego internacional com menor latência e potencial redução de custos. O acesso aos PTTs melhorará a oferta das comunicações, especialmente Internet, atualmente disponível para nossas populações e empresas, em especial em setores com demandas críticas de latência como saúde, computação em nuvem e mercado financeiro.

Também possibilitará que mais de 1.400 instituições de pesquisa e educação na América do Sul (800 destas no Brasil) e 3.000 na Europa, incluindo escolas, universidades, hospitais universitários entre outros, possam ampliar a troca de informações relevantes ao desenvolvimento da ciência e tecnologia de seus respectivos países. Com isso, será possível intensificar o intercâmbio de dados e imagens entre as instituições de pesquisa nas áreas de astrofísica, cosmologia, astronomia óptica, entre outras com grande demanda de banda e baixa latência, tendo em vista a recente aprovação no plenário do Senado de adesão do Brasil ao Observatório Europeu do Sul, bem como os observatórios instalados no Chile.

 

2 Comentários em "Cabo Submarino Brasil-Europa vai conectar Fernando de Noronha"

  1. josuel moura disse:

    tenho certeza vai meçlhora nossa internet e este monopolio de cada um ter a melhor que acaba niguem ter a melhor internet na ilha pra ofereçer ao seus clientes

    aguardo que seja mas rapido possivel

  2. Vitor Chagas disse:

    Muito importante essa ligação com a Europa e com o resto do mundo. Mas…até quando estaremos a mercê do americanos controlando nossos passos virtuais?

Deixe um comentário!

*obrigatório

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>