Max participa de comitiva presidencial em São Paulo

15 de fevereiro de 2018

Max participa de comitiva presidencial em São Paulo

O presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, acompanha, nesta quinta-feira (15), em São Paulo, a comitiva do presidente da República, Michel Temer e do Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

Eles estão na capital paulista para conhecer as obras da nova fonte de luz síncrotron, Sirius, um projeto do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM).  Há pouco foi realizada uma dinâmica com as autoridades.

O Projeto Sirius

Sirius, a nova fonte de luz síncrotron brasileira, será a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no País e uma das primeiras fontes de luz síncrotron de 4ª geração do mundo. É planejada para colocar o Brasil na liderança mundial de produção de luz síncrotron e foi projetada para ter o maior brilho dentre todos os equipamentos na sua classe de energia.

Representantes da Telebras e do Consórcio Sat 3D entregam Kits escolares na obra do COPE P

9 de fevereiro de 2018

A sexta-feira (9) foi de estímulo à equipe que participa da construção do Centro de Operações Espaciais Principal de Brasília, o COPE P. Cerca de 60 Kits escolares foram entregues a filhos de colaboradores que participam da construção da obra.

Na oportunidade, a Telebras esteve representada pelo diretor Comercial, Rômulo Barbosa e pelos engenheiros Sebastião do Nascimento Neto, Rodrigo Botelho, e Gabriel Polanzzo. O Consórcio Sat 3D, responsável pela obra, contou com a presença dos diretores e gerentes das empresas participantes: Almeida França, Paulo Octávio e Projeman.

“São profissionais que merecem nosso reconhecimento porque, assim como as nossas empresas, eles ajudam a construir o Brasil”, ressaltou Barbosa.

“Temos que aproveitar este momento tecnológico para desenvolver produtos no Brasil”, diz Maximiliano Martinhão, em assinatura de acordo para unidade de semicondutores

6 de fevereiro de 2018

O presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, participaram, nesta segunda-feira (5) da assinatura de acordo de joint venture das fabricantes de semicondutores Qualcomm e USI para instalar, em São Paulo, uma fábrica de chips para smartphones e dispositivos de “internet das coisas”.

Para o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão, o Brasil carece da indústria de IoT e uma fábrica na área de semicondutores pode trazer muitos benefícios, pois tem o viés de promover a pesquisa e o desenvolvimento no país. “O mercado de IoT no Brasil está crescendo em uma velocidade muito rápida. Temos que aproveitar este momento tecnológico para desenvolver produtos aqui. Existe uma expectativa de que até 2025 este nicho vai gerar ao país, U$ 200 bilhões. A partir da riqueza que existe em todo este mercado, o Brasil está atraindo investimentos e desenvolvimento tecnológico, além de equilíbrio na balança comercial”, enfatizou Max.

Durante o evento, Kassab destacou a retomada dos investimentos estrangeiros no país. “Que essa parceria sirva de incentivo aqueles que estão na iminência de iniciar novos projetos. É hora de o Brasil crescer. Chegou o momento de acreditarmos no país e gerarmos mais empregos”.

Com previsão de investimentos de US$ 200 milhões, a nova fábrica deve começar a operar a partir de 2020 e deve gerar entre 800 e 1 mil empregos qualificados. A estimativa para início da operação coincide com o prazo para execução do Plano Nacional de Internet das Coisas, projeto do para alavancar o setor, que deve conectar todos os objetos à nossa volta, no Brasil.

“Cada vez mais, as pessoas e os empresários voltam a acreditar no Brasil. O que acontece aqui é o início de um grande projeto que trará não apenas tecnologia, mas formará recursos humanos dentro e fora do Brasil para que a gente possa introduzir o que há de mais necessário para desenvolver o país”, declarou Kassab.

O local de instalação da planta ainda não está definido, mas de acordo com Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina, provavelmente a fábrica ficará na região de Campinas, no interior de São Paulo.